domingo, 5 de março de 2017

Flan Parisien

Como alguns sabem, eu nasci em Paris e lá passei a minha primeira infância. Ainda me lembro de, pela mão do meu pai ou do meu avô materno, ir à "boulangerie" e saborear um dos deliciosos e variados bolos da pastelaria francesa.
Embora o meu bolo/doce preferido seja a "galette des rois frangipanne", existiam outros que me enchiam as medidas como este Flan parisien (ou pâtissiers).
De uma maneira geral, este tipo de tarte é conhecida como Flan pâtissiers e existem versões com e sem base. 
Hoje, e embora goste da versão com base, optei por não a colocar de modo a tornar a receita um pouco mais saudável (pois a base implica um aumento da manteiga).
A pouco e pouco irei dar-vos a conhecer os meu favoritos  pois encontrei um livro sobre estes flans e não resisti... 





Como o tempo continua cinzento e tristonho, optei por criar um cenário primaveril com alfazema (que também me traz recordações de França, embora de uma região diferente!!!).
Toda a decoração e prato incluído são da DeBorla. ❤

Para o recheio:
4 ovos
100g de açúcar (a receita aconselha 150g)
1 pacote de natas (200 ml)
80g de maïzena
800g de leite
2 saquetas de açúcar baunilhado (usei Vahiné)

Preparação Bimby:
Colocar no copo limpo e seco o açúcar e pulverizar 10 seg/ vel 9;
Adicionar as natas, a maïzena, os ovos, o açúcar baunilhado e o leite e programar 10 seg/ vel 5 para misturar; De seguida, programar 10 min/ 90º/ vel 4;
Entretanto, forrar uma forma de abrir (usei uma de cerca de 20 com de diâmetro) com papel vegetal e reservar;
Quando o creme estiver espesso, colocar na forma, alisar com a ajuda de uma faca e deixar arrefecer;
Depois de frio, levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante até ficar dourado e consistente (uns bons 40 minutos). Convém ir vigiando pois, por vezes, o creme, ao entrar em ebulição, tende a transbordar da tarteira; 
Deixar arrefecer bem antes de tentar desenformar (por vezes, sobretudo quando não houve qualquer percalço, sirvo mesmo na tarteira!!!)
Depois digam se gostaram!!! :*

Preparação tradicional:
Forrar uma forma de abrir (usei uma de cerca de 20 com de diâmetro) com papel vegetal e reservar; Num tacho, levar a ferver o leite, a açúcar baunilhado e as natas. Retirar e reservar.
Num recipiente, bater os ovos com o açúcar até obter um preparado mais esbranquiçado. Acrescentar a Maizena e misturar.
Voltar a levar a mistura do leite e natas a ferver e, quando ferver, adicionar a mistura dos ovos, açúcar e Maizena e misturar bem. (Nota: Para ser mais fácil e não formar grumos eu costumo retirar para uma tigela o leite aquecido e misturar fora do tacho!)
Levar de novo ao lume, até ferver mas em lume brando e mexendo para não agarrar ao fundo.
Quando o creme estiver espesso, colocar na forma, alisar com a ajuda de uma faca e deixar arrefecer;
Depois de frio, levar ao forno pré-aquecido a 200ºC durante até ficar dourado e consistente (uns bons 40 minutos). Convém ir vigiando pois, por vezes, o creme, ao entrar em ebulição, tende a transbordar da tarteira; 
Deixar arrefecer bem antes de tentar desenformar (por vezes, sobretudo quando não houve qualquer percalço, sirvo mesmo na tarteira!!!)
Depois digam se gostaram!!! :*

Nota: Em vez de açúcar baunilhado podem optar por usar uma vagem de baunilha o que irá intensificar o sabor.
Receita adaptada do livro "Flans pâtissiers" (ver aqui)


7 comentários:

  1. Que lindo! Apetece mesmo comer. Parabéns pela foto.

    ResponderEliminar
  2. Ficou lindo e SUPER apetitoso. Hummm....

    Beijinho
    Bimby & Sabores da Vida

    ResponderEliminar
  3. Olá,

    Usando esta receita, posso acrescentar massa folhada fresca?
    Obrigada! :)

    (Também lá passei a minha infância. Vim para cá com 12 anos.)

    ResponderEliminar
  4. Olá!!! Normalmente usa-se massa quebrada mas não venho porque nao fique bom com massa folhada!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Parece maravilhoso! Já está na lista para testar :-)

    Catarina
    nolugarquechamocasa.blogspot.com

    ResponderEliminar

Obrigada pela visita e pelo comentário!!! :)